El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player


História


Foi inaugurada na cidade de Mazatlán, mas por dificuldades políticas, em 1874 as autoridades estaduais se mudaram para Culiacán e com elas também o Liceo Rosales, trocando o seu nome original para Colégio Rosales , mas experimentando, ao mesmo tempo, uma transformação interessante em suas ofertas educacionais introduzindo novas carreiras como: engenheiro agrimensor, topógrafo e hidrógrofo, advogado, contador (contabilista), químico (ensaiador de metais) e professor de educação básica.

Em 1918, após a Revolução Mexicana o Colégio Rosales se converte na primeira e original “Universidad de Occidente”. O governador do estado, General Ramon F. Iturbe, decreta em favor da autonomia, a fim de que a Universidade tenha a capacidade legal para decidir sobre o seu projeto acadêmico, gereciar e cotrolar os seus bens, configurando assim um caso pioneiro de reforma universitária no país, sob um modelo novo e visionário de universidade regional, a instituição abrangiu os diferentes níveis acadêmicos: ensino básico, escola normal, educação de adultos e educação contínua, carreiras técnicas e ensino superior, desenvolveu um ambiente de liberdade acadêmica, direito à educação e solidariedade com os interesses sociais mais amplos.

A “Universidad de Occidente” trocou o seu nome em 1922 para “Colégio Civil Rosales”, sendo alimentado pelo sistema de autonomia, atmosfera de liberdade e da tradição acadêmica dos seus antecessores.

Mais tarde, sob a influência do “cardenismo”, em 1937, tornou-se a Universidade Socialista do Noroeste, como tal, promove e apóia as grandes reformas sociais da época.

Com o governo do general Lázaro Cárdenas termina a era da  Universidade Socialista do Noroeste, passando, em 1941, a ser Universidade de Sinaloa. Em 04 de dezembro de 1965, a instituição recupera e desenvolve a sua autonomia revogada em 1937. Com a nova ordem jurídica, desde 1965 mantém o seu nome atual de Universidade Autônoma de Sinaloa.

A instituição, nos anos sessenta e setenta, viveu intensamente a mobilização de estudantes, professores e trabalhadores, com episódios de crise e instabilidade. No entanto, a partir de 1977 o movimento estudantil foi capaz de restaurar a normalidade institucional reforçando a orientação cultural, o planejamento do seu desempenho e melhoria geral de uma Universidade cada vez mais comprometida com o ensino e a sociedade do estado de Sinaloa, sob o tema preciso e contínuo:  superação acadêmica e compromisso social.

O processo de regularização acadêmica, até agora, tem sido expresso em ações para a profissionalização do ensino, para desenvolver a pesquisa científica e a pós-graduação, aprofundar a extensão cultural e ao mesmo tempo reorganizar as estruturas administrativas e financeiras da instituição.

Universidad Autónoma de Sinaloa, © Todos los derechos reservados